Tenha compaixão de você mesmo



A tempos ouço falar sobre esse tema, e vejo publicações sobre auto cuidado. Mas será que na prática funciona? Pois bem, é difícil lidarmos com a rejeição, medo de ser abandonada, ser deixada para trás, esquecido, trocado.

Tudo isso são subterfúgios para fugirmos de nós mesmos. Ocorre que para não pensarmos em nossas ações, refletimos sobre o que fazemos para nós, usamos essas palavras como “desculpas” e vamos assim agradando o outro e esquecemos de dar voz as nossas vontades.

Lidar com o desafeto nem sempre é fácil, então, pergunto, você é ativo ou passivo nas suas ações? Como você lida com o poder de decisão? Decidir se vai fazer caminho mais longo para buscar um amigo mesmo que isso lhe traga desconforto, e dentro de você acenda um sinal de alerta, mas para não desagradar o outro faz mesmo assim. Então, você está sendo ativo na sua vida? Ou aceitando o que lhe é imposto, por vários motivos, por medo, ser mais cômodo, impotência, insegurança ou qualquer dos itens já citados.

Como anda a relação com você mesmo? Ao falar de auto estima, pensamos ser apenas uma beleza externa, aceitar seu corpo, mas ela vai muito além disso, podemos enumerar questões que podem te deixar frágil diante alguma circunstância. Por que não, falarmos desse medo de rejeição? O que tanto de assombra?

Te convido a falar sobre eventual causa que podem gerar essa falta de compaixão. Mas deixo aqui uma fala que muito a me acomete, você já se abraçou hoje?

Faça esse exercício, se olhe no espelho e analise cada parte do seu corpo, olhe além daquela imagem que está refletindo, enxergue a pessoa que está por de trás de tudo isso, permita a tirar as enumeras máscara que vestimos para encarar esse mundo, e veja o quão importante você é.

E o mais incrível, que isso tudo é para você, por você.

Abraço!!


‘Diga quem você é, me diga Me fale sobre a sua estrada Me conte sobre a sua vida’
Canção: Máscara
Pitty

51 visualizações2 comentários

© 2018 by João Alberto Gonçalves Salvador.