© 2018 by João Alberto Gonçalves Salvador. 

Dores e doenças : expressões da alma!

18 Jan 2019

 

Antes de mais nada, por se tratar do primeiro post do ano, gostaria de desejar a todos um feliz ano todo, cheio de paz, saúde e muito amor. Como desejei saúde, nada mais oportuno que falar de um sintoma que acomete inúmeras pessoas, e para isso, vou utilizar o texto intitulado “Quando a dor vem da alma”, diga-se de passagem, excelente e muito profundo, de autoria da médica geriatra Dra. Roberta França, que aborda sua vivência profissional e o quanto as dores físicas fazem parte de uma rede de comunicação entre a alma e o corpo, para informar a pessoa de que algo não está bem. Em outras palavras, a alma se expressa através do corpo.

Pude perceber esse fato na minha atuação como psicólogo clínico em centro de tratamento de dor crônica, de uma operadora de saúde. Nesse período ficou claro que o não expressado de maneira criativa (fala, música, artes em geral) tem sua voz no corpo através de dores e doenças. Por isso, diante de uma dor física sempre cabe a pergunta "para quê estou vivenciando isso?" ou "o quê essas dores querem me mostrar?" Dessa forma, a psicoterapia pode auxiliar o indivíduo na compreensão ou “tradução” de suas dores expressas pelo corpo, através do acesso de conteúdos há muito escondidos nas profundezas de sua alma e, assim, ressignificar tais conteúdos inconscientes para, então, traçar um novo caminho onde possa viver em sua essência. O processo não fácil e muito menos agradável, mas tem suas compensações e Jung expressou muito bem a dureza através da frase: "Qualquer árvore que queira tocar os céus precisa ter raízes tão profundas a ponto de tocar os infernos".

Veja o texto da Dra. Roberta França, clique aqui.

 

Abraço a todos!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Quando a dor vem da alma

Quando ainda era acadêmica ouvi de um professor algo que nunca esqueci "quando tudo doi a dor não é física"...
Talvez eu não tenha dimensionado naquele instante a grandeza desse diálogo. Hoje geriatra, vivenciando diariamente a rotina dos meus pacientes, vejo o quanto esse olhar me abriu para compreender cada um que chega com dores por todo corpo; muitas vezes não sabendo nem por onde começar ou sequer explicar como acontece. Ouço com atenção às queixas de dores de cabeça, no estômago, musculares, ósseas, palpitações, náuseas, coceiras...
Depois faço apenas uma pergunta " o que está realmente acontecendo com você? " Após um minuto de hesitação e até espanto, a maioria cai num choro convulso e doloroso. Deixo o choro libertador acontecer e então no lugar das queixas álgicas ouço término de relações, perdas de pessoas queridas, problemas financeiros, medos, angústias e ansiedades... Novamente lembro - me da frase " quando tudo doi a dor não é fisica"... Não é! A dor é na alma...
Tudo que nos faz mal e guardamos, por um mecanismo de defesa, vai sair de alguma forma... muitas vezes em forma de doença! É nosso corpo físico gritando pelo resgate da nossa alma... É nosso corpo nos confrontando com nosso eu... É nosso corpo nos mostrando o que não vai bem... É nosso corpo dizendo " olhe pra você "
As vezes é difícil compreender e até acreditar nisso. Normal! Estamos tão mentais, tão obcecados pela objetividade que só mesmo adoecendo, doendo, machucando é que paramos para valorizar nossas sensações e nos perceber. ..
Ninguém gosta de sentir dor, ninguém quer adoecer, todo mundo teme se machucar...
Alertas!
Quantos alertas nosso corpo precisa nos enviar para olharmos pra ele, de verdade!
Sejamos mais atentos , gentis e cuidadosos com nosso corpo...
Sejamos mais atentos, generosos e amorosos com nossa alma...
Toda dor é real...
Toda dor é tratável. ..
Todo corpo deve ser templo...
Toda alma deve ser leve...

Roberta França
Medicina Geriatrica "

Share on Facebook
Please reload

Recent Posts

29 Jun 2018

Please reload

Please reload

Arquivo do Blog