© 2018 by João Alberto Gonçalves Salvador. 

Medo de magoar: quando se magoar é uma escolha.

 

 

 No espaço de tempo entre o nascimento e a morte, existe algo que chamamos de vida, composta basicamente de relações interpessoais e afetivas. Dificilmente passamos um dia sem trocar, ao menos, duas palavras, um aperto de mão ou um abraço com alguém. Dificilmente, também, deixamos de vivenciar conflitos nessas relações, que por um lado contribuem com o fortalecimento dos vínculos afetivos e, por outro, podem romper definitivamente esses vínculos.

Nesse contexto, as dificuldades estão nas escolhas, devido a necessidade de um posicionamento de cada um dos envolvidos, que tendem a gerar uma nuvem de descontentamentos nessa relação e, fatalmente, alguém sairá magoado. Entretanto, existem pessoas que adotam uma atitude na qual buscam, ao custo do próprio bem estar pessoal, evitar conflitos e não magoar ao próximo. 

Mas, será que é possível passar uma vida sem magoar alguém? Será que temos esse poder? Não seria a mágoa uma escolha pessoal, diante de uma expectativa depositada em alguém que não tem a obrigação de atendê-la?

Magoar é o verbo que designa o ato de uma pessoa que pode provocar o sentimento de mágoa em outra, que pode ser através de uma ofensa, uma atitude decepcionante ou indelicada, o que dá a idéia de alguém que, com sua atitude, causou danos emocionais a outra. Entretanto, às vezes a mágoa de uma pessoa vem de sua dificuldade em lidar com as atitudes assertivas dos outros, quando estes estabelecem limites na relação, que nem sempre o fazem com satisfação.

Temos, então, pessoas que não gostam de magoar pessoas e quando o fazem, é para estabelecer um limites na relação, ou priorizar suas necessidades, onde o não, tem o mesmo peso que o sim, o que é extremamente saudável. Em contrapartida, existem pessoas que têm medo de magoar as outras, ultrapassando seus limites no sentido de atender às expectativas alheias.

No segundo caso, que é o foco deste post, o não, dificilmente é expressado e, a mágoa se volta para quem se esforça em não magoar o outro por medo. Sendo o medo “uma resposta emocional a um perigo eminente real e percebido, onde o indivíduo é levado a um estado de excitação, preparando-o para lutar ou fugir’ (post “Medo x ansiedade” - clique aqui para ver o texto na íntegra),  

Sendo assim, o medo que alguém tem de magoar o outro pode estar relacionado à dificuldade em lidar com as consequências de tal situação, por conta do sentimento envolvido na relação ou o grau de dependência daquele, seja afetiva, emocional ou financeira. em qualquer dessas situações, a pessoa encontra dificuldades de estabelecer os limites necessários na relação, evitando contrariar ou outro, não apenas para parecer “boazinha”(persona), mas para não ter que lidar com suas possíveis perdas. 

Assim, o medo de magoar e expressar o não surge por conta de duas componentes: uma externa (dependência, possibilidade de abandono) e outra interna, no caso problemas com a autoestima ou inabilidade em se expressar assertivamente. De qualquer forma, o indivíduo que procura não magoar o outro ou evitar conflitos, poderá apresentar ansiedade, sentimentos de culpa e raiva, ao jogar seus desejos e frustrações na sombra, numa tentativa inconsciente e compensatória de modificar suas atitudes em relação ao outro.

Partindo do pressuposto que todo o sintoma trata-se de uma mensagem inconsciente para mostrar ao indivíduo um caminho diferente, no qual este poderá se fortalecer para tomar decisões conscientes e arcar com as consequências. 

Nesse sentido, a psicoterapia pode auxiliar o indivíduo nesse caminho de autoconhecimento, proporcionando ao mesmo o reencontro com sua coragem, elevação de autoestima e, consequentemente, fortalecimento para enfrentamento de situações de conflitos e tomadas de decisão, sem medo de magoar alguém... caso necessário,

Um abraço a Todos!


 

Share on Facebook
Please reload

Recent Posts

29 Jun 2018

Please reload

Please reload

Arquivo do Blog